segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Carma

O que é o carma?

A palavra carma significa "ação". A ação no budismo tem um sentindo mais amplo do que se imagina. O budismo classifica essa ação em três categorias: as palavras que falamos, os pensamentos que temos, e o comportamento físico que manifestamos.
O budismo ensina que as ações de todos os tipos - físicas, verbais e mentais - tornam-se causas para efeitos futuros, tanto negativos como positivos. O estado de nossa vida é o efeito de nossas ações passadas, e determina nosso futuro. Diz-se que a vida existe no meio da ligação entre passado, presente e futuro. O carma é de dois tipos: positivo e negativo.
Nós criamos nosso próprio carma, e é irracional culpar outras pessoas por coisas ruins que nos acontece. Assim, é de nossa responsabilidade mudá-lo ou criar um carma melhor.
Refirimo-nos ao carma como leve ou pesado. Carma pesado é aquele que por sua verdadeira natureza produz uma força dominante que faz a pessoa agir de modo a levá-la para a direção oposta daquele que realmente quer ir. Quanto mais pesado for o carma, mais firme ele está preso a nossa vida.



Como podemos superar o carma?

A Lei que governa o domínio e muda o carma é a essência do Sutra de Lótus, o Nam-myoho-rengue-kyo. Devotando a nossa vida à vida cósmica do Nam-myoho-rengue-kyo, que penetra em todos os fenômenos cósmicos, podemos mudar o nosso carma que foi formado desde o infinito passado até agora.
O budismo não somente discerne sobre a eterna acumulação do carma como também nos mostra um modo válido de transformá-lo positivamente, através da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo



Fonte: Livro Guia Prático do Budismo, pág. 141 e 144.

Nenhum comentário:

Postar um comentário